Candidaturas PO Competitividade e Internacionalização

Siga-nos:

Na Tecla preparamos e submetemos a financiamento, através do Programa Operacional Competitividade e Inovação, - COMPETE 2020 - as candidaturas dos nossos clientes organizacionais - empresas e instituições, apoiando-os em todas as fases: da gestão da candidatura à gestão do plano de formação, até ao seu encerramento.

Gestão da candidatura à obtenção do financiamento:

  • Identificação das necessidades de formação;
  • Elaboração da proposta de plano de formação e orçamento de custos;
  • Submissão da candidatura em formato eletrónico;
  • Apoio a eventuais pedidos de informação adicional.


Gestão do plano de formação aprovado:

  • Planeamento do plano de formação com o cliente (cronograma das ações a realizar);
  • Elaboração do dossier técnico-pedagógico de cada ação de formação;
  • Execução das ações de formação aprovadas e acompanhamento permanente aos formandos e à organização;
  • Elaboração do dossier contabilístico do projeto;
  • Gestão financeira do projeto - inclui adiantamento, pagamentos intermédios e reembolsos;
  • Encerramento do projeto de formação.


A
Tecla dispõe de uma equipa multidisciplinar, com capacidades demonstradas na gestão de dezenas de projetos de formação financiados pelo POPH no período de 2007-2013.

Não deixe de contactar os nossos serviços. Ajudamo-lo a construir a sua candidatura, agora no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Inovação, enquadrado no Programa Portugal 2020 (período de programação 2014 - 2020).


Para informações mais detalhadas sobre o Programa Operacional Competitividade e Inovação, aconselhamos a leitura cuidada sobre o seu enquadramento concetual.

O Programa Operacional Competitividade e Inovação, que irá vigorar no período 2014-2020, vem substituir o Compete - Programa Operacional Factores de Competitividade (integrado no QREN), que vigorou no período 2007-2013.

Neste novo período de programação, um dos eixos prioritários de intervenção está relacionado com a promoção da sustentabilidade e da qualidade do emprego (Eixo III). Ora, um dos objetivos específicos deste Eixo passa por intensificar a formação dos empresários para a reorganização e melhoria das capacidades de gestão, assim como dos trabalhadores das empresas, apoiadas em temáticas associadas à inovação e mudança.

Para aumentar os níveis de qualificação dos trabalhadores das empresas, são apoiadas as seguintes tipologias de ação:

  • Apoio à participação de trabalhadores de empresas em ações de formação que promovam uma melhor eficácia dos processos de inovação das empresas, associada a projetos de investimento (projetos integrados), enquadrados nos seguintes instrumentos financiados no âmbito do OT 1 (Reforço da investigação, do desenvolvimento tecnológico e da inovação) e OT 3 (Reforço da competitividade das pequenas e médias empresas);
  • Apoios ao desenvolvimento de ações de formação e de capacitação dos trabalhadores das empresas para a inovação e gestão empresarial e e-skills (projetos autónomos de formação profissional promovidos por empresas, entidades privadas sem fins lucrativos ou agências públicas).

As ações de formação podem assumir diversas modalidades de organização, recorrendo-se às metodologias mais adequadas face às caraterísticas das populações alvo abrangidas e às estratégias de ensino-aprendizagem selecionadas, designadamente aquelas que recorram a métodos ativos, como o coaching ou a formação-ação.

Fonte: Resolução do Conselho de Ministros n.º 33/2013, de 20 maio

Ao longo do período de programação 2007-2013, a Tecla prestou serviços de consultoria a entidades dos setores público e privado, com e sem fins lucrativos, na elaboração de candidaturas a atividades formativas.

Para mais informações, contacte os nossos serviços.

Mais Informações